Bivar divulga gastos do PSL com advogada de Bolsonaro e acirra crise no partido

Karina Kufa representa o presidente da República e tem seu salário de 40 mil reais por mês pago pela sigla

O presidente do PSL, o deputado federal Luciano Bivar, divulgou em um grupo de parlamentares um relatório de gastos do partido com a advogada Karina Kufa, que representa o presidente Jair Bolsonaro.

A informação,  divulgada pela jornalista Mônica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo, mostra que os recursos de R$ 340 mil teriam saído do caixa do PSL de São Paulo. De acordo com a assessoria de Bivar, os números são oficiais.

Além de receber R$ 40 mil por mês, a jurista firmou contrato de R$ 200 mil para apresentar ações diretas de inconstitucionalidade no STF (Supremo Tribunal Federal). A advogada fez também 1 acordo de R$ 100 mil para defender a senadora Juíza Selma (PSL-MT), acusada de abuso de poder econômico e caixa 2 nas eleições de 2018.

Ao jornal Folha de S. Paulo, a assessoria de Kufa disse que os valores que somam R$ 340 mil “são totalmente correspondentes aos praticados no mercado de Brasília”.

Contratada pelo PSL, Karina Kufa ganhou a confiança do presidente da República por seu trabalho na campanha eleitoral de 2018. Ela era responsável pelo partido no âmbito nacional junto ao ex-ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral). Com a demissão de Bebianno em fevereiro, Karina assumiu o controle jurídico da legenda.PUBLICIDADE

Crise na legenda

Essa é uma reposta do parlamentar ao presidente, que junto com outros 21 deputados pediu ao PSL acesso às contas do partido para auditoria. O comando da legenda decidiu contra-atacar. Vai pedir auditoria nas contas da campanha presidencial do ano passado.

Nesta semana, Bolsonaro e Bivar fizeram declarações públicas que geraram uma crise no partido. Bolsonaro, por exemplo, disse que o presidente do PSL está “queimado para caramba”. Bivar, por sua vez, disse que Bolsonaro “já está afastado” do partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *