Intercept denuncia farra de militares na Europa

🥂

A mamata acabou? A mamata nunca acaba. A viagem pela Europa de Renato Vaz e sua esposa Luana, por exemplo: começou por Paris no último sábado e vai custar caro, mas não pra eles, pra nós. Ainda no primeiro dia, Luana postou publicamente no seu Instagram uma foto do casal com a legenda: “Férias!!!!! Começando por Paris ”.

A nossa editora sênior Tatiana Dias descobriu que a viagem foi paga – pelo menos em parte – por você. Lembra do tour milionário dos coronéis do Exército que nós revelamos em maio deste ano? Agora chegou a hora do embarque, e nós fomos lá pra registrar o momento.

Renato Vaz e Luana, Andre Cunha e Rita Asfury e Rita e Fernando Libório estão na Europa juntos com outros 58 casais que partiram do Rio de Janeiro para a “Viagem de Estudos Estratégicos ao Exterior” – assim como foi batizada pelo Exército. Fazem parte do grupo 57 alunos da Eceme, quatro instrutores e as respectivas esposas. A já tradicional viagem de final de ano é promovida pelo Curso de Política Estratégica e Alta Administração do Exército, o CPEAEx, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, a Eceme.PUBLICIDADE

Renato – assim como os outros alunos que viajaram na mesma comitiva – recebeu R$ 19 mil em “ajuda de custo” para passar os 13 dias na Europa. Os finais de semana também são remunerados. Ninguém precisa justificar como usou o dinheiro.

Além das diárias, o Exército ainda pagou passagens aéreas dos coronéis, transporte por todo o trajeto entre França, Bélgica e Alemanha e atividades. Passeios e city tours para as esposas são incluídos na programação. Os militares disseram à Tati que “o Exército não se envolve em questões relacionadas aos acompanhantes” e que a eventual presença de familiares “ocorre segundo critério pessoal, sem custos para a União” – mas as incluiu nos traslados, nos passeios, nos hotéis… enfim, no roteiro oficial com dias livres e diárias aos maridos.

Só nas passagens dos coronéis, a viagem custou cerca de R$ 335 mil em dinheiro público. O maior valor, no entanto, é da ajuda de custo: pelo menos R$ 1,25 milhão. No total, o tour custou a mim e a você mais de um milhão e meio de reais – com a alta do dólar, saiu mais caro do que as edições anteriores da viagem.

O objetivo da viagem, segundo o Exército, é promover “o assessoramento de alto nível aos altos escalões do Exército, do Ministério da Defesa e do Poder Executivo”. A programação inclui visitas à Otan e ao Ministério da Defesa, além de apresentações de embaixadores e militares franceses. Enquanto os maridos cumprem o protocolo, as mulheres têm uma programação específica. O roteiro de estudos é intercalado com tardes e manhãs livres e city tours.

Depois que publicamos nossa reportagem em maio, grupos de zap dos coronéis entraram em estado de alerta. Eles optaram por um embarque discreto: os casais saíram da sede da escola, no bairro da Urca, no Rio de Janeiro, na manhã de sexta-feira retrasada, em ônibus civis, fretados.

Pegaram os dois ônibus em direção ao Galeão e, de lá, partiram pela AirFrance para Paris. O comandante da Eceme, general de brigada Rodrigo Vergara, levou também a filha. Perguntamos isso à escola – que não confirmou. Nós fomos até lá para conferir, e tiramos essa foto.

De The Intercept

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *